ARTIGOS DO PADRE XIKO

< Voltar para os Artigos

A alegria da missão cumprida

A alegria da missão cumprida

Todas as pessoas têm sua missão, a todas foi confiado um papel a desempenhar no mundo. Cabe a cada uma descobrir qual sua verdadeira missão.

 A partir do momento que cada uma descobre sua missão, a vida torna-se a própria missão. 

Aliás, essa é a visão do próprio Papa Francisco. 

Cada um de nós é convidado a realizar sua missão através das qualidades e talentos recebidos. 

Ninguém deveria dizer que não tem nenhuma missão ou tarefa, que é inútil, pois todos nós nascemos com um dom. 

Creio que todos nós temos experiência de ter vivido a alegria de, depois de um compromisso, ou, depois de uma etapa da vida, poder dizer que cumprimos a missão que nos coube. 

Sentimos uma imensa satisfação, nossa alma se enche de gozo,  uma vez que realizamos um bem, contribuímos para  um mundo melhor e sentimos a satisfação, a gratificação de ter desenvolvido os dons que recebemos. 

Claro que, quem sabe, algumas vezes, para cumprir a missão, passamos por decepções, percalços; neste caso as alegrias são ainda maiores, o gozo, com certeza, é redobrado. 

Imagino um pai ou uma mãe de família poder concluir que cumpriu sua missão; um médico, um professor, um padre, um pastor, um empresário, um operário, ao chegar ao final do dia, do mês ou do ano e, na sua consciência, saber e poder afirmar que cumpriram sua missão. 

 Haverá maior satisfação? 

Entendo que cumprir a missão nem sempre significa fazer o melhor, o mais perfeito, o ideal, mas  ter feito tudo o que está ao seu alcance, ter dado o melhor de si.

 Ter dado tudo o que podia. Saber que não faltou o ingrediente fundamental que é o amor.

 Creio que cumprir a missão deveria ser sempre o nosso desejo. 

 Cumprir a missão que nos foi confiada ou que escolhemos como caminho de felicidade, pois a felicidade não necessariamente está no que fazemos, mas no como fazemos. 

Como nos faz bem encontrar pessoas e ouvir de sua simplicidade que cumpriu sua missão, que se sente feliz. 

Aproveito para falar, especialmente, da minha  alegria de poder cumprir a missão que me compete.

 Estou caminhando para meus dez anos de peregrinação pelo Brasil, levando o anúncio da esperança e da fraternidade, propondo uma mudança de mentalidade, uma mudança de ritmo e  de postura como pessoas e como cristãos e, caminho também para os 50 anos de ministério presbiteral e, na simplicidade da fé e no meu íntimo, sinto necessidade, por graça de Deus, de dizer que, neste tempo percorrido, cumpri minha missão, e isso me enche de alegria.

 No entanto a missão, por mais simples e humilde nunca a realizamos sozinhos, assim também as alegrias nunca serão apenas nossas, mas de todos os que dela participaram. 

Por isso, ao dizer que cumpri minha missão, sempre precisarei agradecer e acrescentar gratidão porque foi uma obra realizada por muitas mãos e muitos corações. 

Assim, e por tudo isso, tenho que dizer que sou profundamente grato.   

Pe. Xiko,SAC 

     



Publicação: Em 22/08/2018 às 14:25h < Voltar para os Artigos

Deixe seu comentário:

LEMA DE SACERDÓCIO:

"Eu, o senhor, chamei-te realmente, eu te segurei pela mão, eu te formei e designei para seres a aliança com os povos, a luz das nações, para abrir os olhos aos cegos, para tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão aqueles que vivem nas trevas" (Is.42,6).

contato@pexiko.com.br
Todos os direitos reservados www.pexiko.com.br © 2013
Desenvolvido por: